Herança

Tradições de hoje

Edição 02, 2020

Tradições de hoje

Vinayak Surya Swami |autora

Edição 02, 2020


O reviver de uma herança artesanal não reside apenas na prática de uma arte antiga. É sobre torná-la relevante nos tempos contemporâneos com total liberdade criativa e manter o processo sustentável. É o que algumas marcas estão a oferecer a artesãos no Rajastão rural.

No ano passado, um tapete colorido chamado Sawan ka Lehariya foi catapultado para a fama após ganhar o prestigiado prémio de Melhor Design de Produto Europeu de 2019, para o Design Artesanal Original. O prémio, que reconhece experiências de design únicas em todo o mundo, foi ganho por Parvait e Bhagchand da cidade de Kekri junto a Jaipur. Membros da comunidade da tecelagem manual tradicional de tapetes com enlaçamento manual, a dupla criou este tapete vibrante inspirado pela natureza que rodeia a sua vila-natal deserta. A dupla afirma que esta foi a primeira vez que tiveram total liberdade criativa e toda a glorificação que têm vindo a receber pelo seu design dá-lhes ainda mais coragem e motivação.

São membros da comunidade de tecelagem apoiada pela Jaipur Rugs India (JRI), uma marca com quarenta anos cujo objetivo é preservar as tradições texteis antigas da Índia.
Outro grupo que está a trabalhar para manter viva a tradição artística e as famílias artesãs em Rajastão é a Nila House. “Toda a comunidade artesanal tradicional tem um sentido de orgulho e crença no seu estulo de vida, e se usarmos estes valores para qualquer forma de intervenção, são mais adaptáveis e flexíveis à mudança,” afirma Juhi Pandey, o chefe do desenvolvimento artesnala na Nila House.

SIMPLIFICANDO

Atualmente as empresas têm que oferecer uma maior liberdade criativo aos artesãos para gerar resultados únicos. Vejamos por exemplo o trabalho feito pelo programa Doorstep Entrepreneurship do JRI que fornece não só materiais purs, como equipamentos essenciais como teares, filamentos, entre outros, com formações vocacionais de qualidade para mulheres que trabalham em casas de tecelagem, tudo acessível ao artesão. Os tapetes finalizados são recolhidos e exportados para todo o mundo, e os benefícios são transferidos diretamente para os tecelões, erradicando intermediários.
A Nila House segue uma abordagem dupla. Um objetivo é trabalhar no desevolvimento de design e produção diretos, criando oportunidades de negócio para os artesãos. O segundo, é o espaço de exibição no centro da Nila House em Jaipur, para os artesãos demonstrarem, promoverem, publicitarem e apresentarem os seus trabalhos.

Uma vitrina de mobiliário doméstico tradicionalmente tingido da Nila House; Um tapete inspirado na topografia da cidade de Jaipur

O PRÓXIMO PASSO

É importante modificar a arte para poder prosperar nos tempos modernos. “A chave para a preservação e sustentabilidade é a tradução destas artes para o mundo atual. Isto requer paciência, compreensão, compromisso, e a paixão tanto pela forma tradicional como pelo que vamos alcançar atualmente, diz Anuradha Singh, líder da Nila House. A adaptação também inclui exposição global.
Matteo Cibic, um conhecido designer italiano, colaborou com o JRI numa experiência de design para criar uma colecção de tapetes feitos à mão de vanguarda de acordo com as sensibilidades do design europeu. Denominados Jaipur Wunderkammer, os tapetes tecidos em estilo tradicional Rajasthani retratavam a arquitectura e as tradições do estado. “Estes tapetes são obras de arte. Quero que as pessoas que olham para eles e os usam, compreendam a sensibilidade de uma terra tão rica”. Quero que as pessoas apreciem o trabalho árduo que tornou cada um destes perfeitos”, diz Cibic.

A colecção Nila x Anna Valentine em exposição

A estilista britânica Anna Valentine, que trabalha extensivamente com artesãos têxteis no Rajasthan, também garante a sustentabilidade. “À medida que nos tornamos mais conscientes do nosso ambiente, isso torna-nos mais conscientes não só do que compramos e onde é feito, mas também de quantas vezes uma peça têxtil será usada”, diz Anna Valentine. Recentemente colaborou com a Nila House numa colecção destinada a mostrar técnicas tradicionais de tecelagem à mão e tinturas naturais de índigo e foi apresentada ao artesanato Rajashtan pela Lady Bamford, que dirige a Fundação Lady Bamford.

A FORMA DE TOMAR AS MEDIDAS

Hoje, nos bolsos rurais do Rajastão, os artesãos incentivam os seus filhos a estudar e a praticar o seu ofício.

Artesãos motivados, meios de subsistência sustentados e um sistema inovador de apoio apoiado pelo governo estão a garantir a propagação e a preservação deste artesanato. As iniciativas das empresas no sentido de serem mais responsáveis socialmente diversificadas, preocupam-se agora em construir economias rurais. As comunidades rurais precisam de uma voz que as compreenda para o mundo externo e as organizações estão hoje a tornar-se facilitadoras neste processo de ligação do nosso país, tanto a nível interno como externo.

Vinayak Surya Swami

Vinayak Surya Swami é um jornalista de Déli. Ele é formado em engenharia mecânica e trabalhou como aprendiz de construtor de navios na Marinha da Índia. Escritor a meio tempo desde a adolescência, mudou-se para o jornalismo para seguir a sua tendência para escrever e viajar.
error: Content is protected !!