Cozinha

Khavanu, peevanu ne majha ni life jeevanu

Edição 01, 2021

Khavanu, peevanu ne majha ni life jeevanu

Shelley Subawalla |autora

Edição 01, 2021


A cozinha parsi está repleta de tradição e cultura e, ao longo dos anos, evoluiu e adaptou-se às nuances locais

“Khavanu, peevanu ne majha ni vida jeevanu (comer, beber e viver uma vida feliz)”. Este é um antigo adágio que a comunidade Parsi vive. Uma comunidade com uma cultura rica em história e tradições (tanto sociais como gastronómicas), os cidadãos Parsis sempre se orgulharam de viver em harmonia e de se integrar no estilo de vida local do meio ambiente prevalecente.

A lenda e a história dizem que quando os Parsis aterraram em Sanjan, Gujarat, depois de fugir do Irão e serem apresentados ao rei, um padre Parsi pediu uma tigela de leite cheia até à borda e algum açúcar. O padre misturou o açúcar no leite sem derramar uma gota e depois prometeu ao rei que, do mesmo modo, os Parsis se fundiriam na comunidade local e adoçariam a vida daqueles que os rodeavam. Curiosamente, mesmo assim usavam a comida como meio de comunicação para afirmar o seu ponto de vista!

Outra preparação de ovos, é Parsi akuri ou ovos mexidos picantes Indianos

Os Parsis prosperaram e estenderam-se por toda a Índia, abraçando a harmonia e adaptando-se à cultura local. Um exemplo disto é a forma como a sua gastronomia evoluiu. Embora se tenham mantido fiéis às suas tradições durante as festas, também se adaptaram de acordo com a sociedade e costumes locais.

Um dos mais importantes festivais Parsi é o equinócio primaveril ou vernal, também conhecido como Navroze. Celebrado a 21 de março, o equinócio vernal é, de acordo com os Parsis, o alvorecer de um novo ano. O tempo real em que a mudança ocorre é registado no Irão e depois a informação é enviada para todo o mundo.

O dia começa com doces como ravo (um pudim de sêmola) ou sev (uma sobremesa de aletria). O almoço é normalmente ou um pulao daar (uma versão Parsi de um carneiro ou biryani de galinha servido com um caril picante de lentilha) ou dhun daar ne patio (arroz, daal simples ou lentilha e um caril de peixe agridoce). O peixe é considerado um sinal de boa sorte na cultura Parsi e encontrar-se-iam doces com a forma de peixe numa mesa tradicional.

Bolos de parsi mava (bolos tradicionais ligeiramente condimentados feitos com leite espesso)

Uma bela tradição praticada pelos Parsis na Índia, é a colocação da mesa Navroze. Nesta tradição, uma mesa é coberta com uma toalha de mesa branca e é abastecida com vários alimentos, cada um com um significado profundo. Entre estes estão sete alimentos que começam com a letra ‘S’ – sirka (vinagre), sumac (especiarias), samanu (halwa), sib (maçã), sir (alho), senjed (baga da sorveira) e sabzi (erva) – juntamente com sete alimentos que começam com ‘SH’ em Persa – sharab (vinho), shakar (açúcar), shir (leite), shirini (carne doce), shirberenj (doce), shira (xarope) e shahad (mel). Também são mantidos ovos pintados (tal como os famosos ovos de Páscoa), frutas, frutos secos, legumes e grãos (significando abundância).

A dona da casa convida os hóspedes a olharem para um espelho para que possam ter um ano de bons reflexos, oferece-lhes uma moeda para a prosperidade e borrifa-lhes água de rosas antes de os conduzir à mesa.

Uma mesa Navroze tradicional. Cada objeto colocado sobre a mesa tem um significado especial – um espelho para significar um ano de reflexos à frente e moedas para inaugurar a prosperidade.

O prato Parsi mais comum é o dhan saak. Este prato, feito com lentilhas, legumes, carneiro e especiarias, tornou-se sinónimo dos Parsis em todo o mundo. É servido com arroz caramelizado e kachumbar (uma salada de cebola e tomate). No entanto, o saak de dhan, apesar de ser um alimento básico nos almoços dominicais dos Parsi, nunca é preparado numa ocasião auspiciosa. Uma refeição festiva tradicional inclui pulao ou um frango picante servido com batata frita aos palitos (salli ma marghi), uma cenoura e pickles de frutos secos (lagan nu achchar), saariya (papad), chappatis finos (flatbreads) e creme de lagan nu (Parsi custard) para sobremesa.

A cozinha Parsi está repleta de cultura. Estas receitas honradas ao longo dos séculos têm sido transmitidas de geração em geração e modificadas ao longo dos anos, no entanto, o seu núcleo tem permanecido intato. Os Parsis tentam o seu melhor para manter a sua individualidade e singularidade, ensinar o mesmo aos seus filhos e inculcar neles uma parte da rica herança cultural e gastronómica. Uma herança rica em especiarias, sabor e uma mistura perfeita de origens antigas e adaptações modernas.

Shelley Subawalla

Shelley Subawalla is the proprietor of Zarin’s Secrets, a venture aimed at promoting and preserving the ancient culinary traditions of the Parsi community. Based in Delhi, she makes and sells Parsi spices and condiments, making Parsi food accessible to the world. Her aim is to spread the word about her community, its cuisine and its time old traditions.
error: Content is protected !!